Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Blogue de Ismael Sousa

A perspetiva de um homem num mundo tão igual.

Incompletibilidades!

por Ismael Sousa, em 23.02.18

Ouço tantas vezes a tua voz na minha cabeça.IMG_2520.JPG

Sabes, aquelas conversas que costumávamos ter? Aquelas palavras que sempre dizias? Recordo-te tantas vezes durante o meu dia.

Há tanto tempo que não escrevo. Tenho-me mandriado (nem sei se essa palavra existe). Ou talvez não. Não escrevo porque, na verdade, me falta a inspiração, porque me faltas.

Tenho deambulado por entre os meus dias, na esperança de te encontrar. Mas já não estás. Faltas-me.

Ainda agora poderia jurar que te ouvi atrás de mim, repreendendo-me pelo meu estado melancólico a que me sento a esta mesa a escrever. Ao lado do computador tenho as folhas escritas à máquina, aquelas que tu me inspiraste a escrever. No quarto, somente o bater das teclas e o tic-tac do relógio.

Saio de casa, percorro as ruas da cidade. Falam-me as paredes de ti, sentem saudades de ti. Escreveram-se e reescreveram-se propositadamente para que as lesses. Elas sabem o quanto tu gostas dessas frases soltas, escritas em paredes frias e tristes.

Dois meses corridos. Dois meses em meias palavras, em bebedeiras de ausência, ressacas de vergonha. Penso que o abandono me roubou a vida, se apoderou dela, tomando-a como sua. As coisas deixaram de fazer sentido...

Ouço tantas vezes a tua voz na minha cabeça. Já não te vejo, mas vejo-te: nos sonhos, nos pensamentos, na memória, nas tuas fotos... Ainda ouço, tantas vezes, a tua voz na minha cabeça...

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.